Já era previsto (Portuguese)
Depois do anúncio de um plano de paz para o Oriente Médio, ontem, mais um atentado foi registrado hoje, desta vez ao norte de Israel. Foi o primeiro atentado suicida desde o dia 4 de agosto e mais uma vez a ação mostra que a disposição em minar os esforços pela paz é uma política dos terroristas palestinos.
Li-Chang Shuen




Desde o dia 4 de agosto não era registrado um único atentado
suicida em Israel. Em parte, devido ao forte esquema de segurança
imposto pelo exército israelense. Em parte também pela falta de uma
boa oportunidade para aparecer, pelo lado palestino. Rosh Hasahna e
Yom Kippur seriam duas ocasiões muito boas para um ataque, mas
felizmente as forças de defesa israelenses estavam atentas.

Ontem, o "quarteto" anunciou na ONU um plano de paz para o Oriente
Médio a ser implementado em fases, seguindo um cronograma que
culminaria com a criação de um estado palestino até 2005. Nenhuma
novidade em essência, mas um passo adiante que demanda compromisso
mútuo entre as partes envolvidas no conflito. O plano foi recebido
com cautela, tanto entre israelenses quanto entre palestinos. Cada
um com suas reservas, cada um com suas esperanças. E foi a senha
para que um homicida-suicida saísse de seu anonimato para a mórbida
missão de detonar não apenas bombas e ceifar vidas, mas
principalmente explodir esforços pela tão sonhada paz.

Nenhuma novidade em essência aqui também. Observando os
acontecimentos mais recentes naquela parte do mundo pode-se
constatar uma cruel realidade em meio a tantas cruéis cenas de
guerra: sempre que alguém, seja quem ou como for, se dispõe a falar
sobre paz, uma bomba cala essa voz, que cai no vazio de uma
violência instigada por quem não quer nem de longe a sombra da paz.

Por isso, o ataque de hoje ao norte de Israel não chegou a
surpreender. Em uma triste constatação, qualquer analista menos
atento saberia que isso mais cedo ou mais tarde iria acontecer. Não
houve, até agora, confirmação de mortos. Foram poucos os feridos. O
homicida aparentemente detonou os explosivos antes da hora,
assustado com uma barreira policial. Talvez as consequências
tivessem sido maiores. E a partir de agora, outras tentativas de
minar mais esse plano de paz deverão ser noticiadas pela imprensa.

É preciso que as partes realmente interessadas na paz não deixem
que mais essa esperança seja suplantada por ataques e contra-
ataques, ações e reações que venham a aumentar as diferenças e
dificuldades para uma solução pacífica e duradoura. Se o objetivo
declarado da intifada é acabar com a ocupação e criar um definitivo
estado palestino, a chance para que os palestinos mostrem isso para
a comunidade internacional mais uma vez está sobre a mesa. Eles,
mais do que qualquer outro, devem saber que com terrorismo eles não
têm nada a ganhar. Nem eles, nem ninguém.

Posted by David Melle
 Link to this page |   Email this entry |   digg this

Comments
Post a comment




Remember Me?


Enter the code shown:   
This helps us prevent automated spam comments

Comments are open and unmoderated, although obscene or abusive remarks may be deleted. Opinions expressed do not necessarily reflect the views of FactsOfIsrael.com. See the Terms of Use for more details.

Email this entry
Email this entry to
(Please enter email address):


Your email address:


Message (optional):


Referrers to this Page

FAIR USE NOTICE

This site contains some copyrighted materials the use of which has not always been specifically authorized by the copyright owner. We are making such material available in our efforts to advance understanding of environmental, political, human rights, economic, democracy, scientific, and social justice issues, etc. We believe this constitutes a 'fair use' of any such copyrighted material as provided for in section 107 of the US Copyright Law. In accordance with Title 17 U.S.C. Section 107, the material on this site is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. For more information go to: http://www.law.cornell.edu/uscode/17/107.shtml. If you wish to use copyrighted material from this site for purposes of your own that go beyond 'fair use', you must obtain permission from the copyright owner.